<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d17194197\x26blogName\x3dAg%C3%AAncia+UFG+de+Not%C3%ADcias\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://facomb.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://facomb.blogspot.com/\x26vt\x3d-1697762387792962349', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Agência UFG de Notícias

A Agência UFG de Notícias é um orgão laboratorial do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Goiás. Os alunos responsáveis pelos textos aqui publicados estão cursando o 2º período de Jornalismo. As coordenadoras da Agência são as professoras Rakell Aguiar e Silvana Coleta.

Informações


Últimas Notícias


Blogs


Sites


quinta-feira, novembro 03, 2005


Universidade Federal de Goiás receberá verba para Institutos do Milênio

Rosemeire Ramalho - Agência UFG de Notícias

A Universidade Federal de Goiás (UFG) obteve aprovação de dois projetos de pesquisa na seleção do Programa Institutos do Milênio do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT). O programa será executado no triênio 2005-2008 pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e visa apoiar o desenvolvimento na área de pesquisa científica por meio de auxílio financeiro para laboratórios e bolsa para pesquisadores. O edital exigia que os projetos atendessem algum desses dois critérios: ter um pesquisador classificado como 1A, nível máximo para avaliação do CNPq ou a formação de pesquisa em rede, ou seja, a associação de várias instituições. Esse último possibilitou que a UFG se inscrevesse no concurso. Já que não possui nenhum pesquisador 1A.

O CNPq recebeu 236 propostas enquadradas em duas modalidades: Demanda Induzida e Demanda Espontânea. A primeira trata de temas determinados pelo governo e considerados de interesse estratégico nacional, tais como, Nanotecnologia (ciência que estuda partículas na escala nanométrica), Violência e Segurança Pública, Estratificação Social e desigualdade, Recursos do Mar, Democracia e Cidadania, Telemedicina, entre outros. Já a segunda engloba temas de livre escolha e de qualquer área de conhecimento.

Os projetos da UFG aprovados são de temática espontânea, sendo das áreas de Farmácia e Medicina Veterinária. No primeiro caso, o projeto se intitula Instituto do Milênio: Inovação e Desenvolvimento de Novos Fármacos e Medicamentos. É fruto de uma parceria da UFG com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Estadual Paulista (Unesp), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Universidade de São Paulo (USP). O professor Doutor Eliezer Jesus de Lacerda (UFRJ) e a professora Doutora Valéria de Oliveira da Faculdade de Farmácia (FF-UFG) coordenarão esse projeto que receberá 4 milhões de reais.

A união com a UFPE, a Universidade do Pará (UFPA), Universidade de Brasília (UnB), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Instituto Biológico, USP, Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), UFRJ, entre outros, possibilitou o projeto Tecnologias aplicadas ao controle das intoxicações por plantas em herbívoros no Brasil e Estudo das plantas tóxicas das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste que receberá o valor aproximado de 750 mil reais. Essa pesquisa terá como coordenador geral o professor Doutor Franklin Riet Corrêa da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e a professora Doutora Maria Clorinda Soares Fioravanti da Escola de Veterinária (EV-UFG). Segundo a professora, mesmo se a verba não sair, apenas o fato de figurar entre um grupo seleto que corresponde a excelência em grupos de pesquisa já é uma grande satisfação.

Agência UFG de Notícias atualizada às 9:13:00 AM

0 comentando aqui


0 comentários

Postar um comentário

Início


Leiaute da Helen Fernanda.